Sobre partidas

0 comentários
Queria ser do tipo de pessoa que confia que os outros vão ficar. Queria ser alguém que não se desespera com os próprios pensamentos. Queria ser alguém que não se perde nas próprias expectativas irreais.

Não sou.

Estou sempre esperando que alguém vá embora. Não porque quero que vá -- mais que tudo, temo a solidão -- mas porque tenho essa certeza dentro de mim que, mais dia, menos dia, todos irão me deixar.

Vão me deixar porque se darão conta de que não sou quem eles pensavam que eh era. Porque se cansaram de mim, das minhas inseguranças, de quem eu sou. Vão me deixar porque eu não sou suficiente nem pra mim mesma, então como posso bastar pra outra pessoa?

Vão embora porque sempre vão, no final.

Eu também iria, se pudesse.

Queria não sentir essa necessidade de mostrar todos os meus lados logo de cara, pra facilitar e apressar a decisão de ir embora. Queria confiar em outra pessoa do mesmo jeito como confio em mim -- mais, até, já que nem sei se confio tanto assim em mim mesma. Queria não acreditar que todo mundo vai embora.

Mas não sou. E me afasto. Me desculpe.

Sentidos

0 comentários
Com meus olhos, eu te estudo. Conheço seus traços, memorizo a cor dos seus olhos, a curva que a sua boca faz quando você sorri. Para mim, você é único -- não por ser o mais bonito, nem diferente de todos os outros, mas por estar aqui. Porque, dentre todas as possibilidades e pessoas, você escolheu a mim e escolheu ficar.

Sob meu toque, eu te celebro. Venero a textura da sua pele, o sabor do seu beijo, o calor do seu corpo quando encontra o meu. Para mim, você é especial -- não por ser melhor, mas porque está comigo. Porque, de todos os abraços que já ganhei, o seu é o mais quente, o mais sincero.

Em minha mente, eu te desnudo. Relembro sua voz, seu toque, seu cheiro. Te imagino comigo e me permito sonhar, só por um instante, que não existe tempo, distância ou saudade. Para mim, você é presente todos os dias -- não por estar sempre aqui, mas por tentar estar junto.Porque, por mais que o tempo passe, a distância persista e a saudade aumente, todos os dias, ainda é você quem me faz sorrir.

Transborde-se

0 comentários
Não te desejo alguém que junte seus pedaços. Você não está quebrada, não precisa de conserto. E se precisar, não é outra pessoa que vai poder fazer isso por você; só você é capaz de remontar seu próprio quebra-cabeças.

Não te desejo alguém que te faça perceber o quanto é especial. Sua beleza e seu valor não estão nos olhos de outra pessoa. Se você não as enxergar, então não poderá vê-las através de ninguém.

Não te desejo alguém que te faça esquecer de tudo. Amar é bom, mas outras coisas também são importantes.

Mas te desejo alguém que te ajude a colar aquele pedacinho perdido. Que não te deixe esquecer do quanto é maravilhosa. Alguém com quem você queira dividir todos os aspectos da sua vida.

Não te desejo alguém que te complete; você já é inteira. Te desejo alguém que te exceda. Que te transborde.

A Falácia da Produtividade

0 comentários
Termine o livro. Adiante aquele freela. Dê banho nos cachorros. Leia três livros por semana. Faça, faça, faça -- ficar desocupado é o fim. Protelar é impensável. Meio da semana, e você aí, improdutivo?

Trabalhar de casa pode ser a melhor coisa, mas às vezes é uma merda. Especialmente porque eu nunca sinto que tenho permissão (de mim mesma, da minha família, do universo) para ser um ser humano normal e fazer coisas simples como tirar uma soneca, ou ver uma série. Todas as atividades não relacionadas a trabalho realizadas dentro do "horário de trabalho" (a.k.a. o famoso horário comercial) são um desperdício de tempo e de energia.

E aí, acontece como aconteceu em vários momentos nessas últimas semanas. Em meio à correria para terminar o livro novo, vídeos para gravar e editar e freelas pra terminar, me vi experimentando um esgotamento que parece quase ridículo para alguém que trabalha literalmente ao lado da própria cama. Não conseguia ter ideias. Não conseguia produzir. Comecei a cochilar em cima do teclado.

A gente vive numa era em que muito se cobra e pouco se recebe. Produza, produza, produza -- mas por um salário meio pombo, uma divulgação sem vergonha, um retorno mínimo, que às vezes nem paga o esforço que a gente dá. Estamos tão acostumados a vivermos em função do trabalho (ou, pelo menos, eu estou) que a gente esquece que precisa ser improdutivo às vezes. Que precisa e deve ter um dia de preguiça, um dia sem fazer nada, um dia sem pensar.

Mais do que isso, esses dias fazem bem! Depois de um dia de descanso, a mente se renova o bastante para pensar em novas ideias, tem energia o suficiente para dar um gás naquilo que você precisa fazer. Todo mundo precisa de um descanso, e às vezes, só aquele soninho da noite não é suficiente, especialmente se você, como eu, vai deitar, mas a cabeça continua trabalhando e te impede de dormir por muitas horas.

Então, acho que aprendi minha lição. Protelar pra sempre não é bom, mas tudo bem se dar uma folga merecida. Tudo bem não ser criativo 100% do tempo, tudo bem escolher por as séries em dia em vez de escrever aquelas 200 páginas. Tudo bem ser improdutivo. Todo mundo precisa disso. Eu certamente preciso. O melhor a fazer é aproveitar.
 
Larissa Siriani | Copyright © Design por Naiare Crastt • Mantido pelo Blogger